Acíclico.

em sábado, 6 de março de 2010

Litha_by_Spamkiller

Você me influencia tanto
E eu também te influencio

                Tecnicamente – veja bem
                Você influencia a si mesmo
                E eu não tenho nenhuma utilidade
                Nesse ciclo vicioso
                De vício por só uma das partes.

Rafael M. Watanabe

4 comentários:

Henrique disse...

Adogo esse poema, porque mesmo sabendo que não foi feito pra mim eu me vejo nele [talvez egocenticamente, mas, enfim...]

Luan do Carmo disse...

Esse eu não conhecia. E assim como o Henrique também me vi no mesmo, mas diferentemente do colega - ao que me pareceu, ele se vê como o que se auto-influencia - me vejo como o que sobra, o que fica de lado, no segundo plano, tanto do outro quanto do meu próprio.

Ágda disse...

Eu não vou dizer que me vejo no seu poema, estaria repetindo o que ja havia ditos nos primeiros, estaria traindo Fernando Pessoa...
Mas é impossivel resistir: "Tu me descreves em cada linha!"

Gilmar disse...

Vou apenas repetir os outros comentários, mas me vejo nesse poema. Sou a parte viciada da história.

Postar um comentário

Não se acanhe, e procure ser legível. =)